O colecionador de histórias

Todo mundo sonha em viver uma história de amor, e eu apenas as coleciono e conto para aqueles que ainda não acreditam que o amor existe. Uns me chamam de cupido, por trazer felicidade para aqueles corações que não tinham mais esperanças de serem felizes. Mas sou apenas um velhinho que sabe a hora certa de dar uma segunda chance e de transformar uma simples troca de sorrisos em um amor para vida toda.

Vou contar uma história para você, a minha favorita, aconteceu há quinze anos. Já tinha acompanhado aqueles dois por muito tempo, entre brigas e abraços. Sempre dando a eles uma segunda chance, algo me dizia que eles iriam um dia se acertar.

Ela uma moça linda, de olhos grandes, cabelos castanhos longos e ondulados. Ele um rapaz brincalhão, de cabelos escuros e olhos da cor de breu. Ela sempre foi apaixonada por ele. Ele sempre foi apaixonado por ela. Viviam na mesma roda de amigos, todos sabiam que eles combinavam, mas ambos tinham medo de arriscar. E se eu a perder de vez, ele dizia para seu amigo. E se eu o perder de vez, ela dizia para sua amiga.

Entre duvidas e escolhas eles resolveram se calar. Mesmo um sabendo o que o outro sentia. Quando eu vi a que ponto está história estava chegando resolvi ajuda-los. Dei a eles uma oportunidade. Um novo ano começou. Ela já não aguentava mais aquele sentimento. Ele não sabia mais como lidar com aquele sentimento. Ela tinha medo. Ele tinha medo. Ambos se amavam. Mas ela optou em ir terminar o ensino médio na cidade que o pai dela morava. Bem longe dele.

A última trocar de olhares, os últimos sorrisos com os amigos que assim como ela também iriam embora, o último abraço deles. Ela disse adeus. Ele disse até breve. Aquilo a deixou com esperanças de um dia eles se reencontrarem, mesmo não querendo mais alimentar esse sentimento. Ela sorriu. Ele retribuiu o sorriso. Aquela dor estava sendo insuportável para ambos. Ela foi embora. Ele continuou ali com um nó enorme na garganta. O que eu estou fazendo? Ele se perguntou. E antes que o cérebro encontra-se uma resposta que o fizesse apenas ir para casa, o coração gritou: VOCÊ ESTÁ DEIXANDO O AMOR DA SUA VIDA IR EMBORA!

Ele se deixou guiar pelo coração. Saiu correndo atrás do que era mais importante para ele. Quando mais corria, mas seu coração acelerava e a certeza de está fazendo a coisa certa tomava conta de seu corpo. Lá estava ela, ele avistou de longe e começou a desacelerar. Mesmo estando sem folego ele a chamou. O som da sua voz a fez parar e como se fosse em câmara lenta ela se virou. Os olhares se cruzaram. Ela estava assustada. Ele estava procurando ar. Ela estava cheia de perguntas, mas tudo o que fez foi sorrir. Ele retribuiu. A noite estava perfeita. A lua estava cheia e os iluminava com o seu brilho. Eles foram se aproximando aos poucos. Cada vez mais próximos. Próximos. Próxi.. Ele a beijou. Ela retribuiu. Dois corpos agora estavam unidos em um só. Todas aquelas duvidas tinham ido embora, agora só existia certezas. Eles não conseguiam parar de se beijar. Eles estavam felizes. Assim foi aquele momento, eles passaram a vida inteira lidando com palavras para expressar o amor que cada um sentia, mesmo que ambos não tinham coragem de falar cara-a-cara, mas eles sempre só precisaram de uma oportunidade. De uma atitude.

A vida é assim caro leitor, quando você se dar conta que está preste a perder a única pessoa que te faz feliz e que você corre o risco de nunca mais ter a chance de vê-la, seu coração toma conta do seu corpo. Substituir seus medos por esperança, esperança de ainda dar tempo de consertar sua história. Você encontra certezas, certezas que durante toda sua vida foram apenas duvidas. E com eles isso não foi diferente.

Ele só precisou perceber que a estava perdendo-a, para o amor se manifestar e fazer tudo acontecer.

Muitos podem dizer que eu fiz tudo, mas eu apenas dei a chance, mesmo não tendo certeza alguma que ele iria segura-la. E já se passaram quinze anos. Ela está tão linda quanto antes. Ele a amar cada dia mais. Eles se casaram três anos após o primeiro beijo. Todos os achavam imaturos e diziam que aquele relacionamento não iria durar. Mas eles se arriscaram, agora sem medo algum. Passaram por dificuldades, ainda mais quando os gêmeos nasceram, foram muitos dias difíceis, mas eles nunca deixaram de acreditar. Hoje os vejo tão apaixonados quanto no dia que eu os conheci, ou como nos contos infantis: Eles viveram felizes para sempre!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s