Semana da Loucura 2016.

Hi, sei que estou muito atrasada em fazer esse post aqui no blog, mas estava vasculhando os rascunhos e achei as imagens da Semana da Loucura que ocorreu em 16 de maio. Acabei lembrando de tudo que aconteceu e senti uma necessidade de fazer esse post.

Todo ano lá na faculdade ocorre a Semana da Loucura (já falei sobre isso aqui), são diversos eventos que a faculdade promove durante uma semana para que os estudantes fiquem mais consciente sobre a Luta Antimanicomial. Neste ano com a correria das aulas só participei de um evento, o cortejo, onde caminhamos por todos os corredores da faculdade cantando e tentando passar aos outros um conhecimento maior sobre essa causa.

Uma coisa que acho interessante é que lá na faculdade sempre buscam fazer algo mais dinâmico para tentar chamar atenção do pessoal. Mas percebi que durante essa semana eles sempre colocam um cartaz enorme anunciando o seguinte “Semana da Loucura – Psicologia”, alguns estudantes de outros cursos, seja por falta de conhecimento ou por qualquer outro motivo, levam isso na brincadeira, falam que os estudantes de Psicologia são loucos e fazem piadinhas desagradáveis. Acho isso totalmente desnecessário.

Sei que todos tem uma opinião sobre a Semana da Loucura e alguns dos próprios estudantes do curso não gostam de participar, não tenho nenhum problema com isso, mas acho desnecessário ficar menosprezando quem participa ou até mesmo achar que não aprendemos nada com esses eventos.

No cortejo aconteceu exatamente isso, estudantes de Psicologia e de outros cursos fazendo comentários que me fazem repensar sobre o curso que escolhi, professores fechando a porta da sala na nossa cara e tinham aqueles que não abriam a porta e outra coisa que me irritou foi que alguns dos estudantes que estavam participando não levavam a causa a sério, para alguns tudo aquilo não passava de uma brincadeira e faziam mais barulhos do que cantavam. Minha amiga (Cíntia) e eu ficamos tipo assim WHATS?, já que eram as letras das músicas que estavam passando a mensagem para a galera que estava interessada em escutar.

Fora todas essas coisinhas que não gostei, posso afirmar que aprendi muito nesse dia e acabei me divertindo muito com galera que estava ali com o mesmo proposito que o meu. Evoé! 

Processed with VSCO with x1 preset

Cartaz que a galera que estava participando criou. 

Semana da Loucura

To ali no meio com as orelhas de gatinho. Haha.

Espero que tenham gostado do post. Beijos. 

Semana da Loucura em fotos <3

IMG-20150520-WA0167 IMG-20150520-WA0166
Esses foram os cartazes do Carlos.
IMG-20150520-WA0165
Esses foram os que a Cíntia e eu fizemos. ❤
IMG-20150520-WA0130
Casos de Psicopatia que ocorreram no Brasil.
IMG-20150520-WA0170
Peça. 🙂
IMG-20150520-WA0169
Amei toda a apresentação, mas em especial o cenário. 
IMG-20150520-WA0131
Momento após a peça onde era explicado o que de fato o grupo quis passar para o público.
IMG-20150520-WA0139
Cara de surpresa. 🙂
IMG-20150520-WA0140
Foto com nosso professor maravilhoso Ricardo Leão. ❤
IMG-20150520-WA0142
Amei essa nossa foto.
hahahah
E para finalizar minhas fotos. Até mais. 😀

Sobre a Semana da Loucura e a Luta Antimanicomial.

luta-antimanicomial
A Semana da Loucura lá na faculdade serve não apenas pra falar de diversificados assuntos, como também para falar sobre um em especial que é a Luta Antimanicomial, ou seja, é mais como um protesto que busca conscientizar a sociedade que o primeiro passo para a cura de uma pessoa é não prende-la, e sim, mostrar para a mesma que ela pode confiar no outro e se alto reconstruir. Mas para isso precisa-se da ajuda de todos, principal da família daquela pessoa.

Desde o século XX, pessoas saem nas ruas no dia 18 de maio (Dia da Luta Antimanicomial) fazendo passeatas com cartazes e faixas, outras fazem palestras sobre o assunto, algumas apenas escrevem algo sobre isso na internet, mas todas buscam mostrar para a sociedade que não devemos prender uma pessoa por ela apresentar algum distúrbio, que todos os serem humanos tem o direito a liberdade e que não devemos excluir essas pessoas da sociedade e, sim, com o acompanhamento fazer com que os mesmos encontrem seu lugar.

Nos dias 15, 16, 17, 18 e 19 ocorreu um evento muito esperado lá na faculdade para os estudantes de Psicologia, que é a Semana da Loucura. Como iniciei na faculdade em agosto de 2014 é a primeira vez que participo desse evento :D.

Confesso que acabei me decepcionando, pois esperava algo diferente, até porque os professores falavam de outros anos que tinham feito isso e aquilo… Por fim, tudo parecia muito diferente e inovador. Porém as coisas não foram bem assim, só teve dois dias de eventos (pelo menos até onde fui informada) e foram como qualquer outro evento que ocorre na faculdade.

No começo de maio fomos avisados que teria esse evento e a nossa coordenadora pediu a cada turma do curso de Psicologia que fizesse uma apresentação referente ao tema que tinham ficado. A minha sala ficou com Psicopatia e depois de muitas discussões “chegamos a conclusão” que seria feito uma peça que mostra-se como o Psicopata é e cartazes que mostra-se casos de Psicopatia e ao mesmo tempo deixa-se as pessoas mais orientadas sobre esse tema.

Estava muito animada com tudo, mas logo de cara fiquei com a parte dos cartazes, por dois motivos, o primeiro é porque não moro lá em Parnaíba (que é onde estudo) e seria difícil ir para os ensaios da peça e segundo porque não gostei de algumas atitudes de determinadas pessoas. Cíntia e eu fizemos juntas os cartazes que por sinal ficaram perfeitos, no fim das contas valeu a pena todo o trabalho que tivemos em deixar tudo do jeito que a gente gosta <3.

Acabei não podendo ir na segunda-feira (18/05) que foi o primeiro dia da Semana da Loucura, mas pelo que me informei somente teve uma passeata pela faculdade e logo mais, palestras. Na terça-feira (19/05) foi o segundo dia e logo cedo cheguei lá pra organizar os cartazes e para ver o que as outras turmas tinham preparado para apresentar. Foi daí que veio a minha decepção, não tinha nada nas outras salas, apenas a nossa iria fazer um evento. De acordo com a nossa coordenadora todas as outras turmas fizeram algo no dia 18 e só restava a gente, aparentemente. Foi triste.

Acabei esperando para assistir a segunda sessão da nossa peça, que por sinal foi maravilhosa, as pessoas realmente souberam atuar e também toda a decoração estava perfeita. As velas, as luzes, a música de fundo… Pelo que pude observar isso foi uma coisa inovadora para as pessoas que estavam assistindo, pois até um rapaz comentou que na faculdade mesmo não faziam coisas desse tipo. Então isso foi gratificante pra nossa sala. E também teve outro rapaz que comentou coisas boas sobre os cartazes que Cíntia e eu fizemos <3.

No fim das contas eu espera mais e com certeza não fui a única, mas o bom foi que minha sala fez um maravilhoso evento e que de algum formar seremos lembrados por isso. Parece que também teve uma caminhada em especial para a Luta Antimanicomial, mas não me recordo muito bem o dia.

P.s.: Tirei algumas fotos, mas vou fazer outro post somente com elas :).
P.s.2: Parece que estou começando a gostar de fazer post somente com fotos :D.

Meu primeiro dia na faculdade

Era para eu ter feito esse post algumas semanas atrás, mas por falta de tempo e de coragem também optei por fazê-lo hoje. Acho que todo mundo já passou por um dia assim, “o dia de conhecer algo novo”, seja pessoas, lugares, ou qualquer outra coisa… Vou parar de enrolar e contar minha experiencia para vocês.

Quando entrei naquele ônibus sabia que daquele dia em diante muita coisa ia mudar, inclusive eu. Queria poder dizer que estava me sentindo bem, porém estaria mentindo se disse-se isso. 50% de mim era nervosismo e os outros 50% ansiedade. Pior de tudo foi que 30 minutos antes de chegar na faculdade, ainda no ônibus, fiquei me questionando se realmente era aquilo que queria seguir. Foram longos 30 minutos, ainda mais que fiquei com um medo enorme de acabar não gostando do curso e depois ter que contar isso para os meus pais… Percebi que já tinha chegado quando a garota que estava sentado ao meu lado pediu para me levantar, ainda estava cheia de dúvidas, porém tudo que fiz foi seguir um conselho que recebi semanas atrás: Entra de mente aberta.

Por sorte um rapaz que ia no ônibus comigo me ajudou a encontrar minha sala. Pensei que tivesse vazia, por ter chegado muito cedo, porém já tinham umas meninas lá de outros blocos, estavam fazendo uma surpresa para os calouros. Resolvi jogar minha timidez de lado e me enturmar, as ajudei a encher balões. Não demorou muito tempo acabei conhecendo a Cintia (que com certeza deve está lendo este texto), a gente se deu super bem. ❤

Quando já tinha chegado um bom número de calouros, a coordenadora se apresentou e os veteranos fizeram uma dinâmica com a gente. Uma brincadeira da gente escrever uma frase em uma folha e grudarmos no nosso corpo, depois ao som de uma música bem agitada íamos para o centro da sala ler as frases uns dos outros e assim ver se conseguimos nos identificar com alguém. De cara conheci logo a doidinha da Fátima que se diz antissocial, mas não tem nada de antissocial. A Aline que é super carismática. A Yasmin que é uma fofa. Conversamos um pouco e depois para terminar a brincadeira fiz par com a Yasmin. O pouco que conheci dela falei pra a sala e vice-versa.

Bom, acabamos conhecendo alguns professores que são formados na área que em breve atuaremos, Psicologia. E terminou a noite com uma aula de um professor que tem uma voz super sexy (brincadeira). Em menos de 30 minutos de aula percebi que estava no lugar certo, no momento certo e todas aquelas dúvidas tinham ficado pra trás…