Trilogia Abandono da Meg Cabot.

SINOPSE DOS LIVROS:

ABANDONO_1365714465BAbandono – Pierce tem dezessete anos de idade e sabe o que acontece quando morremos. É assim que ela conheceu John Hayden, o misterioso estranho que fez ela voltar a vida normal — ao menos a vida que Pierce conhecia antes do acidente — quase inacreditável. Embora ela pense que escapou dele — começando em uma nova escola e em um novo lugar — confirma-se que ela estava errada. Ele a encontra. O que John quer dela? Pierce acha que sabe… também acha que ele não é um anjo da guarda, e seu mundo sombrio não é exatamente o céu. Mas ela não consegue ficar longe dele, especialmente porque ele está sempre lá quando ela menos espera, exatamente quando ela mais precisa. Mas ela sabe que a qualquer momento pode ir parar no lugar que ela mais teme. E quando ela finalmente descobri a verdade, sabe de onde John a salvou: O SUBMUNDO.

Inferno-Meg-CabotInferno: Dividida. Apaixonada. Apavorada. Pierce Oliviera está apaixonada pelo Senhor da Morte. O misterioso e imortal John Hayden é responsável por guiar as almas dos mortos no pós-vida e, agora, também tornou-se responsável pela segurança de Pierce. No entanto, a pacata cidadezinha de Isla Huesos guarda segredos bastante obscuros e perigos inimagináveis, e à medida que Pierce e John se envolvem um com o outro, maior é o risco que correm.

Baixar-Livro-Despertar-Trilogia-Abandono-Vol-03-Meg-Cabot-em-PDF-ePub-e-mobi-ou-ler-onlineDespertar: Neste livro a protagonista Pierce Oliviera, agora namorada do Senhor da Morte, John Hayden, precisa lidar mais uma vez com as terríveis Fúrias, quando estas descobrem que ele quebrou uma de suas regras mais severas: ressuscitar uma alma humana. Se o equilíbrio entre vida e morte não for restaurado, tanto o Mundo Inferior quanto o lar de Pierce serão destruídos. Mas há uma forma de consertar tudo: alguém precisa morrer.

MINHA OPINIÃO SOBRE OS LIVROS:

São livros carregados de mistério, suspense, romance, personagens bons e maus. Algo que achei interessante é que foi através do mito de Hades e Perserfone que a autora criou os personagens e a história. Um ponto fraco é que criei uma expectativa enorme pelo que ia acontecer no último livro e quando terminei de ler percebi que faltou algo, mais “guerra”. Fora esse detalhe os livros são maravilhosos e as capas melhores ainda, com certeza, são os próximos que irei comprar.

Anúncios

Série Desaparecidos da Meg Cabot

Quem é vivo sempre aparece! Haha! Cá estou eu aqui novamente, nestas férias tentei colocar todas as minhas leituras em dia e uma delas foi a série Desaparecidos da minha escritora favorita Meg Cabot. Como são muitos livros vou tentar fazer um breve resumo e depois colocar minha opinião.

dsf

SINOPSE:

Quando Cai o Raio – Jéssica era uma menina normal até ser atingida por um raio enquanto ia para casa. Mas, apesar de não ter ficado nem mesmo chamuscada, acaba descobrindo que ganhou um poder especial: ela agora sabe exatamente onde se encontram as crianças cujas fotos estampam o Disque-Desaparecidos. O problema é que, ao pensar que estava fazendo uma boa ação ligando para o telefone da instituição, ela acaba levantando suspeitas das autoridades… Agora só precisa convencer o FBI a acreditar nela. E ainda precisa arrumar um jeito de conquistar o motoqueiro gato que senta ao seu lado na casa de detenção ou quem sabe até conseguir algo mais…

Codinome Cassandra – Jessica Mastriani foi tachada como a “Garota do Raio” pela imprensa quando ela desenvolveu uma habilidade psíquica de encontrar crianças desaparecidas depois que foi atingida por um raio, durante uma grande tempestade. Agora Jess perdeu seu poder milagroso… Ou pelo menos é o que ela gostaria que a imprensa e o governo acreditassem. Tudo o que ela quer é ser deixada em paz. Mas parece que Jess não vai conseguir realizar seu desejo — especialmente quando está trabalhando em um acampamento de verão para crianças com genialidades musicais. Quando o pai de uma criança desaparecida aparece implorando para Jess encontrar a sua filha, Jess não consegue dizer não. Agora os agentes federais estão na sua cola novamente, assim como um padrasto malandro, que gostaria de ver a Garota do Raio, bem, morta.

Esconderijo Perfeito – Nessa continuação de Codinome Cassandra, Jessica Mastriani estava de férias quando uma garota popular de sua escola desapareceu. Só que agora todo mundo na Ernest Pyle High School culpa a Jess pela morte brutal da líder de torcida. No entanto, ela se sente totalmente isenta de qualquer responsabilidade. Afinal, como poderia ter impedido que a garota aparecesse morta se nem mesmo sabia sobre seu desaparecimento? Mas quando outra líder de torcida também some do mapa, Jess tem a chance de se redimir…

Santuário – Quando atos de vandalismo começam a ocorrer na sua cidade e seu vizinho é encontrado morto em circunstâncias muito violentas em um milharal, ela se vê no meio de um plano muito perigoso. Jessica e seu motoqueiro gato quase namorado Rob terão que engolir o orgulho e juntar forças com o FBI para entrar no santuário de arruaceiros capazes de cometer as maiores atrocidades em nome de seus preconceitos.

Sentindo Sua Falta – Jessica Mastriani finalmente resolveu ceder suas habilidades para o governo dos EUA. Mas seu trabalho custou um pedágio terrível, e Jess reapareceu meses depois, acabada após enfrentar a guerra e totalmente sem poderes, agora era uma garota normal, não era mais a “Garota do Raio”. Sua única esperança era começar em um lugar novo, em uma grande cidade onde não fosse conhecida. E as coisas estavam sendo assim, até que seu ex-namorado apareceu inesperadamente batendo em sua porta lhe pedindo ajuda. Jess não apenas tem que lidar com o seu passado, como também dar um jeito de ajudar o cara que algum dia ela amou, mas como fazer isso se não tem mais poderes e não consegue nem mesmo se encontrar?

MINHA OPINIÃO SOBRE OS LIVROS:

Não esperava muito de Desaparecidos, na verdade, não esperava uma história tão interessante como a que veio se formando a cada livro. Acabei me apegando muito a Jessica Mastriani, aos seus dramas amorosos, suas crises na escola e seus conflitos familiares. E gostei ainda mais de acompanhar o crescimento desta personagem no decorrer dos livros. Alias algo que gostei muito foi da passagem de tempo que tem do quinto para o sexto livro, já que vamos deixando aquela adolescente problemática para trás e nos deparando com uma Jessica bem mais madura em alguns pontos da sua vida.

Todos os livros são carregados com uma história cheia de mistérios, suspense, toques de ação e de aventura, e claro que ainda tem aquele romance previsível e cheio de humor que é a cara da Meg Cabot! Essa com certeza foi uma leitura daquelas que nem percebemos que o tempo passou e que mais um livro já está chegando ao fim. Bom, vale a pena ler esses livros! Haha.

Ps.: Apenas foram publicados no Brasil os livros 1, 2, 3 e 4. O último livro ainda não tem previsão para sua publicação.

Ps.2: Coloquei aqui as capas estrangeiras pois achei elas bem mais elaboradas e bonitas, ao contrário das brasileiras. E também essas capas transmitem realmente a história para o leitor.

Entrevista da Meg Cabot para a revista Cosmopolitan [tradução]

Meg Cabot teve sua grande oportunidade após 10 anos de luta para se tornar uma escritora de sucesso.

8421123768_439a72b360

A entrevista oficial se encontra no site da Cosmopolitan (e está em inglês), desculpe-me desde já se a tradução não está muito boa, mas não sei bem o inglês e acabei recorrendo ao Google Tradutor.

“Quando começou a escrever suas próprias histórias como uma adolescente, sua mãe a incentivou, mas também avisou que ela iria lutar, que seus livros poderiam nunca serem publicados, e que talvez ela precisava trabalhar em um segundo emprego por tempo indeterminado.

A maioria dessas coisas foi verdade para Cabot. Ela trabalhava na sua escrita e publicou alguns livros em sua idade adulta. Mas ela precisou de um segundo emprego por 10 anos até inventar a história sobre uma princesa que se transformou em o mega best-seller O Diário da Princesa. Cabot é também a autora da série sobrenatural A Mediadora, de vários romances, e de ficções adolescentes. Ela publicou mais de 80 livros, que foram vendidos mais de 25 milhões de cópias em todo o mundo. Um novo livro Diário da Princesa, casamento real, foi lançado este mês, e dois novos títulos estão previstos para 2016.

Cabot, 48, que vive com o marido em Key West, Flórida, fala sobre encontrar inspiração para suas histórias na vida cotidiana e a importância de  insistir em algo que você ama.”

Ambos os meus pais eram professores, e eu cresci em uma cidade universitária, em Bloomington, Indiana. Meu pai trabalhou na universidade, e assim fez um monte de pais dos meus amigos. Quando você vê seus pais lendo o tempo todo e todos os seus amigos e pais de amigos, isso é apenas o que você faz. Houve uma ênfase em escrever histórias também. Se estava chovendo lá fora, meus pais diriam: “Aqui estão alguns lápis e papel, escreve uma história.” Eu simplesmente nunca superei isso.

Eu comecei a escrever Star Wars fanfiction quando eu tinha 11 ou 12 anos. Eu realmente me identificava com a personagem da princesa Leia. Foi a primeira vez em um filme que eu tinha visto uma personagem que pegou uma arma e estava atirando nos homens e também governou sobre estes combatentes rebeldes e que também era uma princesa.

Meu fanfiction era tudo sobre o que Luke e Leia fez depois. Eu não sabia que eles eram irmão e irmã, por isso era tudo sobre eles ficar juntos. Então, eventualmente, a minha mãe disse que não há tal coisa como a lei de direitos autorais. Você está gastando todo esse tempo escrevendo este e você nunca será capaz de publicar. Então eu comecei a escrever minhas próprias histórias que eram como Star Wars, mas em um planeta diferente.

Ser uma escritora não era algo que deixava meus pais super empolgados para que eu seja. Eles sabiam que era uma vida dura e que seria difícil publicar algo. Minha mãe queria que eu entende-se que eu teria que procurar outro trabalho também.

Leia mais »

Livro: Cartas de Amor aos Mortos

10809715_668053556640870_438786702_n
As coisas começam a acontecer no momento em que Laurel recebe uma tarefa da escola, escrever uma carta para alguém que já morreu. Ela poderia ter escrito para algum presidente ou para algum grande cientista (acho que era isso que sua professora esperava), mas sua primeira carta vai para um de seus ídolos, Kurt Cobain.

Os dias passam e aquilo que antes era uma tarefa passa a ser o estilo que Laurel encontra para expressar seus sentimentos. Ainda mais diante do momento em que ela está passando com a escola nova, as novas amizades que está tentando construir, o primeiro amor, e o fim da sua família já que após a morte da sua irmã tudo mudou.

A parte mais difícil da vida de Laurel é lidar com a morte da May, sendo que as duas sempre foram muito próximas e ela não consegue transcender o luto.  O livro se passa através das cartas que ela escreve, é assim que vamos conhecendo a sua rotina, seus ídolos e os outros personagens.

Gostei de ler esse livro por causa dos assuntos que são abordados, desde a dor de perder uma pessoa e de como é tão importante o luto para o nosso amadurecimento, como também o abuso sexual e de como isso pode deixar marcas na vida de uma pessoa, ou até mesmo como é complicado ser adolescente e está começando uma nova fase.

Não conheço nenhum outro livro de Ava Dellaira, mas acredito que se todos eles seguir com a escrita tão bem elabora de Cartas de Amor aos Mortos e com uma história tão intrigante serão tão bons quanto este. Aliás o livro carrega um pouco de mistério ao buscamos saber o que de fato aconteceu com May, criamos a nossa versão da história e no fim das contas acabamos nos deparando com algo surpreendente. Vale a pena se arriscar nessa leitura.

Cartas de Amor aos Mortos é uma publicação da Editora Seguinte e tem 337 páginas.

Livros: Perdida e Encontrada da Carina Rissi

encontrada1Oi! Aqui estou depois de um bom tempo, estava com saudades de escrever por aqui, mas nesses dias tentei colocar minha leitura em dia, ainda estou longe de conseguir. Bom, terminei de ler Perdida e Encontrada, que são livros da Carina Rissi, uma escritora brasileira que deveriam ter me apresentado antes, já que ela é sensacional.

Acabei lendo esses livros graças a um canal literário (desculpa não me lembro do nome) que indicou esse livro e fiquei tão encantada com a história que busquei os livros em PDF mesmo (dinheiro não está fácil minha gente). Aí fiquei enrolando um bom tempo lendo o primeiro livro, mas quando pequei o ritmo só consegui parar depois que tivesse completado a leitura dos dois livros. Aliás estava em outro século. Mas precisamente no século XIX!

Esses livros retratam uma história de amor que está além das barreiras do tempo!

Sofia é uma mulher do século XXI, que vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as tradições que aprendeu desde pequena. Como perdeu os pais ainda jovem acabou aprendendo a ser independente, formou-se, arrumou um emprego que dar para sobreviver e carrega um certo medo da palavra casamento. Ela nunca se apaixonou, exceto pelos caras de seus livros de época, tem poucos amigos, e não consegue viver sem seu celular.

As coisas começam a mudar quando após uma boa noite de bebedeira ela acaba derrubando seu celular na privada de um bar e na manhã seguinte ela se viu obrigada a ir comprar outro o mais rápido possível. Só que ela não esperava que seu novo celular a acabaria levando para o século XIX. Ela acaba sendo acolhida pela família Clake, que mesmo a achando bem diferente das damas daquela redondeza, acabaram se encantando por ela.

Ian Clake (que além de ter salvado-a) tenta ajudá-la a descobrir pistas de como voltar para a casa. Mas enquanto não encontravam a solução para aquele problema, Sofia teria que se acostumar com os costumes diferentes, como usar aqueles vestidos enormes e que a faziam sentir um calor imenso, aprender a usar um vocabulário mais formal, sem todas as gírias que ela estava acostumada a falar, e principalmente, colocar na cabeça de uma vez que naquela época ainda não existia banheiro, e que teria que se acostumar com a famosa casinha. Coitadinha dela!

Diante da aproximação dos dois é claro que sentimentos poderiam surgir, e ambas as partes se viram ligadas por alguma força que nem mesmo os 2 séculos que os separavam seria capaz de impedir aquele amor. Será que esse tudo isso vai dar certo no fim das contas?

Carina Rissi trabalhou muito bem na história e a mesma tentou mostrar um Brasil sem a escravidão, com as pessoas sendo tratadas com mais dignidade e retratou muito bem cada detalhe, apesar de me deixar um pouco curiosa em saber qual o local do Brasil estava passando a história. Mas mesmo assim amei os dois livros, aliás são livros bem leves, daqueles que acabamos lendo rápido e desejando mais.

Quero muito falar com alguém sobre esses livros, porém ninguém que conheço já leu. Então, quero saber de você, já leu esses livros? O que achou? Ainda não leu? Pois leia e depois vem bater um papo aqui. ❤

TAG: Meu namorado fictício <3

Olá pessoal, resolvi dar uma passadinha rápida para compartilhar com vocês algo, maravilhosamente fofo, que encontrei no canal da Aninha Reads, é uma tag conhecida como “meu namorado fictício” que é uma versão brasileira da fictional boyfriend do canal RayKayBooks.

1- O namorado mais romântico?
Meu Deus isso começou me deixando na saia justa. Maioria dos livros que sou acostumada a ler tem o cara romântico, nunca pensei que escolher um seria tão difícil, porém após muito tempo na dúvida acabei escolhendo o Shane Bennett do livro Um amor de cinema. Por que ele é Shane, simplesmente isso! ❤

2- O bad boy misterioso que no fundo é bonzinho?
Confesso que fiquei em dúvida entre dois personagens, mas de repente veio um terceiro na minha mente que com absoluta certeza se encaixar perfeitamente aqui, Paul Slater de A Mediadora. Ele é o tipo de cara que aparece do nada, que dar uma de mau, mas que todos nós sabemos que no fundo tem um bom coração. Bem lá no fundo mesmo (risos).

3- O namorado paranormal?
Sim, sim, sim, o meu eterno amor não poderia ficar de fora dessa lista, Hector (Jesse) de Silva ❤ de A Mediadora. Ele é tão perfeito que até encontrar palavras para descrever-lo torna-se difícil, então prefiro apenas dizer que ele é o meu namorado fictício, e vou logo avisando que sou super ciumenta!

4- O namorado que você quer domar?
Essa foi uma escolha difícil, meio que por falta de opção, até que lembrei do Nick de Circulo Secreto. Ele sem dúvidas é um cara que toda garota quer domar, até porque nunca sabemos de qual lado ele está e quais são seus verdadeiros sentimentos. Ele é muito sinistro.

5- O cara na friendzone?
A principio não tinha ideia de quem coloca, até que olhando meus livros vi o Quem é você, Alasca? e tudo se encaixou, Miles Halter com certeza viveu na friendzone, tinha momentos que davam até um pouco de pena dele </3.

6- Sua alma-gêmea?
Vou ter que repetir, Hector (Jesse) de Silva de A Mediadora. ❤

7- O namorado com quem você fugiria?
Andrew Parrish dos livros Entre o Agora e o Nunca e Entre o Agora e o Sempre. Ele é muito engraçado, safado, bonito, misterioso, fantástico!

8- O namorado que você arriscaria ir a qualquer lugar?
Oliver de A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista. Ele é encantador, o tipo de cara que consegue fazer uma garota se apaixonar em menos de 7 horas e dentro de uma avião tem que ser incrível. Com ele eu iria a qualquer lugar sem pensar duas vezes. Haha.

9- O namorado que você gostaria que estivesse em uma ilha deserta com você?
O Fahrenheit 451, não me lembro o nome dele, mas ele é o personagem principal do livro GO e eu adoraria nós dois em uma ilha deserta conversando sobre como é a vida é complicada e como vamos publicar nosso livro, ou ele me dando dicas sobre os filmes e livros clássicos que todo futuro escritor deve ler. ❤

10- O namorado fodão?
Pela terceira vez o amor da minha vida, Hector (Jesse) de Silva de A Mediadora, porque ele é um fantasma e isso é foda.

Bom, espero que vocês tenham gostado e sei que acabei repetindo 3 vezes o nome de um personagem, mas é porque ele é o amor da minha e A Mediadora é a minha saga de livros favorita <3. Então, até próxima, beijos.

Livro: Um Amor de Cinema

IMG_20141022_141352Demorei uma eternidade para terminar de fazer essa resenha. Não que eu não tenha gostado do livro, porém estava sem tempo pessoal – já deu pra perceber que essa é a minha desculpa pra tudo. Tipo, é verdade! Estou em plena semana de provas e acho que já me ferrei em duas matérias :(. Só arrumei tempo pra terminar essa resenha por que mais tarde só tenho uma prova que acho que sei o assunto. Vou parar de contar meu drama na faculdade e ir logo ao que interessa.

Esse é aquele tipo de livro que você se apaixona por ele mesmo antes de abrir. Tá Luana, como isso é possível? A capa é perfeita e logo de cara nos mostra a magia que esse livro trás e a cada página só tive mais certeza disso.

Um amor de cinema conta a história de Kenzi, uma jovem apaixonada por filmes de comédias românticas, sonhadora, que trabalha como designer e devido a relação que tem com a sua família, acabar fazendo de tudo pra agrada-los, até mesmo ficar noiva do Bradley, um cara loiro, de olhos claros (acho que ele tem olhos claros), simpático, bem sucedido, decidido, o tipo de cara perfeito e que sua família amar. Por ter 30 anos e querer logo montar sua própria família, acabar que escondendo as suas dúvidas e dizendo a si mesma que ele é o cara com quem ela quer passar o resto de sua vida.

As coisas passam a mudar a partir do momento em que Kenzi recebe um pedido de amizade no Facebook, do seu ex-namorado – que eu me apaixonei perdidamente – Shane Bennett. Que por sinal ainda faz seu coração acelerar e suas mãos gelarem. Mas a coisa toda fica ainda mais intensa quando ela descobre que seu emprego tá correndo risco, que sua cunhada está grávida, ou seja, seu casamento ficou como segundo plano da família, e o mais louco é que ela precisa ganhar a conta do Carriage House, que é um restaurando com cinema e que o dono é Shane Bennett, o seu ex-namorado que a traiu e foi embora para a Inglaterra, sem se explicar. Sua vida não podia está melhor, hein?

Ainda tem mais coisa, Shane está disposto a reconquista-la e acabar bolando um plano maluco. Diz que só vai assinar a conta se ela topar encenar com ele cenas de dez filmes. Todos aqueles filmes que eles assistiam juntos, e que ela decorou as falas. Tipo, a cena das compras para o chá de cozinha de Vestida para casar, ou a cena da dança de Dirty Dancing. Tem como não se apaixonar?

Uma coisa que gostei muito é que mesmo com as dúvidas e escolhas chegando vamos no decorrer do livro, acompanhando o amadurecimento de Kenzi, e ao mesmo tempo a conhecendo de verdade. Confesso que não foi difícil me apaixonar pelo Shane! É o tipo de cara engraçado, extrovertido, simpático, romântico, queria o Shane pra mim. Fora que ele e a Kenzi juntos é bem “MEU DEUS QUE QUÍMICA”. Ri por de mais com esses dois, ainda mais durante as cenas. Porém chorei, chorei de tão fofo que era determinados momentos do livro. Tá, sou boba romântica mesmo e se não gosta tá no lugar errado.

Bom, esse livro me proporcionou uma leitura maravilhosa, tanto é que o terminei em menos de uma semana. Amei a formar que a Victoria Van Tiem escreve, é tão simples que nos faz ficar querendo mais. Parece que esse é o primeiro livro que ela escreve e sinceramente já estou ansiosa esperando por outros. Se você gosta de uma leitura rápida, uma história que envolve muito romantismo, novas escolhas, esse com certeza é um livro para você.

1. Sintonia de amor
2. Uma linda mulher
3. O diário de Bridget Jones
4. Vestida para casar
5. Dirty Dancing: ritmo quente 
6. Gatinhas e gatões 
7. Simplesmente amor 
8. Digam o que quiserem 
9. Mensagem para você
10. O casamento do meu melhor amigo

Essa é a lista dos 10 filmes, já tinha assistido alguns, porém com o livro acabei assistindo eles e os outros que não conhecia. Não que seja necessário, mas recomendo você a assistir os filmes da lista, isso acabar deixando a história ainda melhor <3. Beijos.