Anna e Fernando

Percebi que o dia não ia ser bom logo que meu despertador tocou as 04:00 da matina, queria voltar a dormir, mas minha mãe me mataria se não fosse para a liquidação que está tendo lá no mercadão. Não faço a menor ideia de como mamãe ficou sabendo disso, mas ontem me ligou desesperada falando sobre como as coisas iam estar baratas e que ela queria muito umas fronhas, panelas, bijux, e uma serie de outras coisas. Tive que fazer uma listinha pra lembrar de tudo. Até disse que já tinha depositado o dinheiro na minha conta. Apenas falei que comprava as coisas e levava tudo pra lá no mês que vem.

E isso resume o porque de está acordando a essa hora. Até que sou acostumada a acordar cedo ou dormir praticamente nesse horário, porém se acorda assim em uma manhã fria de inverno não é bom. Como não tenho chuveiro elétrico tive que correr contra o tempo pra esquentar uma panela de água pra mim e acabei queimando meus dedos. Depois percebi que não tinha luz, com a lanterna do celular vesti a primeira roupa que me veio a cabeça (um moletom azul do tempo que ainda morava com meus pais, uma calça antiga e meus sapatos). Quando olhei no relógio só faltavam 30 minutos para o mercadão abrir, mal peguei minha mochila com o dinheiro e saí correndo o pior é que ainda tinha que descer cinco lances de escadas já que meu condomínio não tem elevador.

Cheguei ainda faltando 5 minutos pra abrir, deveria ter chegado um pouco mais cedo, mas meu fusca demorou uma eternidade pra pegar (ultimamente ele tem passado mais tempo na oficina do que comigo). Para a minha surpresa ainda não tinha quase ninguém, parece que o pessoal entende que o sono é sempre melhor. Fui praticamente a primeira a entrar e só então percebi que as pessoas estavam me olhando diferente aí me dei conta que ainda estava com uma toca velha no cabelo (não me dei tempo de olhar no espelho ao sair de casa), fiquei corada de tanta vergonha, fui para um cantinho do mercado tirei aquilo e deixei o cabelo solto mesmo, não poderia ficar pior.

Procurei por tudo que daquela lista, realmente estavam a um preço super em conta, mas não estava totalmente no clima de compras. Após quase duas horas indo no terceiro andar, voltando pro primeiro, indo pagar no segundo, acabei completando a listinha. Até que acabei avistando um sebo. Fui lá, e não apenas me deparei com uma atendente super simpática como tinha diversas coisas legais além de livros lá. Entre uma prateleira e outra achei uns livros que estava procurando a tempos, alguns que meus antigos professores me indicaram e outros que já tinha lido resenhas maravilhosas. Estava tão encantada com tudo que acabei puxando um livro e derrubando todos os outros que estavam em cima desse na minha cabeça, tentei me equilibrar e foi uma tentativa meio falha acabei caindo. Será que não poderia ser menos desastrada? Continuar lendo “Anna e Fernando”